Registrar-se

Relembre 6 campanhas publicitárias bastante controversas

A importância do marketing na economia moderna é indiscutível, sendo esse muitas vezes o diferencial capaz de tornar um produto bem-sucedido nas vendas. Para que uma campanha de marketing consiga atrair a atenção esperada, várias marcas apostam em propagandas escandalosas e atrevidas, as quais conquistam opiniões divergentes por parte do público. Tendo isso em mente, a seguir estão seis exemplos de campanhas publicitárias que deram o que falar por seu conteúdo polêmico.

1. Nike - “Acredite em algo” 

A campanha da Nike nomeada de “Acredite em algo” escolheu como garoto propaganda o ex-jogador de futebol americano Colin Kaepernick, bem na época em que o atleta se tornou o símbolo de um movimento polêmico na NFL, por se ajoelhar durante o hino nacional norte-americano antes das partidas para protestar pelos negros que são vítimas de racismo e do preconceito policial no país. Na época, milhares de consumidores ameaçaram boicotar a marca, mas paralelamente, indicadores demonstraram que a Nike ganhou prestígio e dinheiro com a chamada geração Millennial, a qual apoia empresas com posicionamento social.

2. Gillette - “Nós acreditamos: O melhor que os homens podem ser” 

Nesse anúncio da Gillette, a marca optou por não anunciar os seus produtos, mas ao invés disso compartilhar uma mensagem importante, desafiando antigos estereótipos e chamando a atenção para os perigos da chamada “masculinidade tóxica”.  Na era do movimento #MeToo, a Gillette se posicionou de forma contrária a comportamentos tradicionalmente agressivos e ofensivos dos homens, e mostrou que é possível ser másculo sem recorrer a esses hábitos. Nas redes sociais, o vídeo da propaganda recebeu mais de 30 milhões de visualizações em poucos dias, se tornando viral especialmente entre os millennials. Como resultado, a marca recebeu muitos elogios, mas também críticas e ameaças de boicote.

3. Airbnb - “#NósAceitamos” 

Em meio a crise de refugiados da Síria, o Airbnb divulgou essa campanha publicitária com uma mensagem de aceitação e benevolência, a qual dizia: “Nós acreditamos que não importa quem você seja, de onde seja, quem você ama ou crê, todos nós pertencemos”. Como é de se esperar, as correntes contrárias a aceitação de refugiados não esconderam sua revolta com o anúncio, mas de forma geral, o anúncio foi positivo para a marca, que recebeu grande atenção em suas redes sociais. Além disso, a campanha ainda incentivou milhares de voluntários a cooperarem em prol dessa causa. Fonte: Airbnb

4. Equinox - “Se comprometa com algo”

A rede de academias norte-americana Equinox, que também comercializa produtos ligados ao universo fitness, divulgou esse campanha “Se comprometa com algo”, para incentivar o público a mudar seu estilo de vida e ampliar seus horizontes, sem preconceitos. Em uma das imagens, é possível observar uma mulher amamentando dois bebês em um restaurante de luxo, enquanto em outra um homem está deitado em um sofá cercado de dinheiro. Considerado vulgar e depreciativo por uma parte do público, o anúncio obteve grande destaque e funcionou como motor para que as vendas da marca aumentassem substancialmente.

5. Poo-Pourri - “Garotas não fazem cocô” 

A Poo-Pourri, marca de sprays aromáticos para banheiro, decidiu inovar em relação aos anúncios característicos desse segmento com a campanha “Garotas não fazem cocô”, mostrando justamente o contrário. Na propaganda, uma mulher elegante e bem vestida está sentada no sanitário enquanto discute sobre o tabu de ir ao banheiro no trabalho, entre outras questões envolvendo o número 2. Considerada ousada e divertida, a propaganda fez sucesso nas redes, mas também recebeu críticas por ser muito explícita com um tema ainda polêmico.

6. Paddy Power - “Jesus Cristo salva o futebol italiano” 

Em 2012, quando estava prestes a lançar o seu site em versão italiana, a operadora de apostas irlandesa Paddy Power divulgou um anúncio publicitário na televisão do país que acabou sendo banido de três emissoras da Itália. No comercial, Jesus Cristo aparecia para “salvar” o futebol italiano, o qual estaria precisando de um milagre para se recuperar das denúncias de manipulação de resultados que explodiram na imprensa do país no ano anterior. Por envolver religião e críticas a corrupção do futebol na Itália, a campanha da Paddy Power não foi bem vista, mas atraiu uma imensa atenção midiática.  


Entenda como acontece a ... Apostar e ganhar com ...