Registrar-se

As relações humanas na era digital

Laptop Fonte: Pixabay Nas últimas décadas, a tecnologia digital alterou de forma indiscutível as relações humanas, pois atualmente não é mais necessário esperar por horas ou dias até conseguir se comunicar com alguém. Em questão de poucos segundos, qualquer pessoa pode conversar com outra que esteja a milhares de quilômetros de distância, apenas com o auxílio de um smartphone e uma conexão Wi-Fi, o que tem feito com que os indivíduos dependam cada vez mais desses aparelhos para se relacionar e interagir com os demais. No caso dos cassinos online, por exemplo, os mesmos começaram a ganhar popularidade no início dos anos 2000, especialmente através dos jogos de roleta e blackjack. Nos dias de hoje, em questão de poucos anos, a variedade de jogos se expandiu de forma inimaginável, sendo possível apostar e interagir diretamente com o crupiê e os outros apostadores, tudo isso em um cassino ao vivo, sem precisar sair de casa.

Mudanças que influenciaram no comportamento humano

Apesar do mundo estar em seu momento de maior avanço, com interações em tempo real independente de qualquer distância, isso não significa que uma grande parcela das pessoas não esteja se sentindo isolada. Antigamente, era comum ouvir que qualquer um poderia se sentir sozinho mesmo que cercado de um grupo de pessoas, e nos dias de hoje, esse princípio não poderia ter se tornado mais verdadeiro, pois é frequente observar pessoas lado a lado que sequer se olham nos olhos, ocupadas demais para desviarem a atenção de seus smartphones. Como consequência da era tecnológica, as pessoas estão passando cada vez mais tempo conectadas e distantes do mundo real. Se antes o mais comum era observar as pessoas saindo com os amigos com o objetivo de conhecer um parceiro ou parceira, agora o mais normal é ouvir histórias sobre alguém ter encontrado o marido ou esposa pela internet. As escolas de idiomas e universidades que oferecem cursos online também não param de crescer, pois é grande o número de indivíduos interessados em aprender algo novo através de plataformas digitais, do conforto da própria casa. Sem dúvidas, essa tecnologia traz inúmeros benefícios, incluindo a facilidade de estudar em uma instituição na qual não seria possível através do modo presencial, ou de conhecer pessoas que normalmente não se encontrariam sem o auxílio da internet. Contudo, os especialistas já ressaltam que essa dependência acelerada dos dispositivos eletrônicos pode acabar se tornando prejudicial para as relações humanas. Social Media Fonte: Pixabay

O que esperar do futuro? 

Com o avanço da inteligência artificial, uma das áreas mais fascinantes e imprevisíveis da tecnologia atual, a tendência é de que os aparelhos eletrônicos e os computadores exerçam uma importância crescente na vida de todos. Nos dias de hoje, as assistentes pessoais oferecidas pelas grandes empresas de tecnologia, como é o caso da Siri, disponível para os dispositivos da Apple, já estão se tornando cada vez mais eficientes, com novas funcionalidades e uma capacidade de interagir que a cada nova atualização tenta imitar o comportamento humano, com o objetivo de torná-las indispensáveis para os usuários. Em uma tentativa mais ousada de prever qual será o impacto de todas essas mudanças no futuro, filmes como “S1m0ne” e “Her” introduziram a ideia de relacionamentos entre pessoas e softwares inteligentes, capazes de uma interação praticamente autônoma. Ainda é cedo para garantir que esse será o rumo da humanidade, mas ao observar o grau de dependência tecnológica atual, em comparação ao que ocorria há 15 ou 20 anos, é inegável que a mesma está se expandindo amplamente. Deixando a imprevisibilidade do futuro de lado, o que os seres humanos podem fazer hoje é aliar o uso da tecnologia com uma rotina saudável, na qual é preciso ter espaço para relações reais, e não somente as virtuais. Mais preocupante do que viver em um mundo onde as máquinas imitam o comportamento humano seria o contrário, observar as pessoas pouco a pouco perderem a sua sensibilidade e começaram se comportar como as máquinas.


Nossas dicas para o ... Tudo o que você ...