Registrar-se

Os países mais saudáveis do mundo

A dieta mediterrânea é a grande “culpada” pela boa saúde!

Fonte: Brooke Lark

Este artigo foi escrito originalmente em janeiro de 2020 e atualizado em julho de 2021.

Muito se fala nos países mais ricos do mundo, naqueles com maior índice de desenvolvimento humano (IDH), ou com os melhores sistemas educacionais. Mas você sabe quais são os países considerados os mais saudáveis do planeta? Bom, estamos aqui para te ajudar com isso! E se, um dia, você decidir conhecer todos eles, não esqueça que a regulamentação que envolve cassino online é diferente em cada lugar. Lembre-se disso ao acessar sua conta no Royal Vegas Casino.

Para selecionar quais nações fariam parte da lista, um estudo da Bloomberg, chamado Bloomberg Global Health Index, classificou 163 países com base em variáveis como expectativa de vida, fatorem ambientais, índices de nutrição, consumo de tabaco, entre outros fatores que estão diretamente relacionados à saúde das pessoas. Os 10 primeiros resultados da última edição, você confere a seguir!

Espanha, o país mais saudável do mundo

Subindo cinco posições em relação ao ranking do ano passado, a Espanha abre a lista ultrapassando a Itália como o país mais saudável do mundo. Entre paellas e presuntos, a alimentação rica do país é um dos principais fatores que colocam a Espanha na liderança.

Além disso, o país possui um melhor clima quando comparado ao restante da Europa, e estima-se que, em 2040, a Espanha tenha a maior expectativa de vida do mundo, de acordo com o Instituto de Métricas e Avaliação da Saúde de Washington, sendo que o país já possui a maior expectativa de vida de toda a União Europeia. Ponto para a dieta mediterrânea!

Itália e sua incrível culinária

Mas não é só a Espanha que se destaca pela culinária. Em segundo lugar, a Itália aparece forte, também impulsionada pela excelente dieta do mediterrâneo compartilhada com os países ibéricos. O país ainda conta com excelente clima, abundantes maravilhas naturais e patrimônio cultural impressionante. Tudo leva a crer, que a combinação desses fatores é a chave para uma vida saudável, visto que são compartilhados pelos dois primeiros países da lista.

Pesquisas demonstraram que as dietas mediterrâneas estão entre as mais saudáveis do mundo, e a Itália também mantém uma alta expectativa de vida. Além disso, os índices do país são influenciados positivamente pela chamada "Zona Azul", localizada na Sardenha, que possui um dos maiores índices de qualidade de vida do planeta.

Islândia e o modelo de saúde pública

Apesar de ser uma pequena e remota ilha no Atlântico Norte, a Islândia tem um impacto bem acima do seu tamanho quando se trata de saúde pública. O país tem uma alta expectativa de vida e um sistema de assistência social ao estilo nórdico, com um modelo de assistência à saúde amplamente público que funciona como um relógio.

Com tudo isso, a população do país está sempre bem servida de benefícios sociais, e não tem dificuldades de acompanhar enfermidades ou receber assistência do governo caso tenha algum problema individual.

A dieta do Japão

O Japão ultrapassou Cingapura para se tornar o país mais saudável da Ásia em 2019, subindo três posições no ranking. A nação tem uma dieta composta, principalmente, de peixe e arroz, o que se acredita contribuir para uma das maiores expectativas de vida do mundo.

Além disso, apesar do estresse conhecido de grandes metrópoles como Tóquio, o país é famoso por dar atenção ao que diz respeito à espiritualidade e bem-estar, sendo um local que chama a atenção pela prática de meditação e exercícios que visam a saúde do corpo.

A qualidade de vida suíça

O país montanhoso da Europa central oferece muita coisa à sua população, com beleza natural abundante, sendo um sonho para os viajantes. A dieta rica em frutas e grãos e uma cultura ativa e esportiva mantêm a Suíça entre os 10 primeiros, embora dois lugares abaixo do ranking anterior.

Além disso, a Suíça é um país extremamente rico para suas dimensões, onde as pessoas trabalham bastante, mas, ao mesmo tempo, não há preocupações que envolvam situações de pobreza, o que está diretamente relacionado ao acesso a saúde de qualidade.

Suécia se destaca na saúde

Representando a sexta posição no ranking, está a Suécia, que possui um forte sistema de saúde financiado pelo governo, o qual corresponde à aproximadamente 12% do PIB do país, estando entre os mais altos do mundo. A Suécia é a prova que investimento em saúde pública impacta diretamente a qualidade e expectativa de vida da população, um modelo que deveria inspirar outras nações.

A cultura esportista da Austrália

Com um clima que atrai pessoas do mundo inteiro, a nação ensolarada marca presença entre os 10 primeiros nomes da lista, o que não é nenhuma surpresa, visto que cidades como Sidney e Melbourne estão sempre entre os melhores lugares para se viver no mundo, independente da pesquisa.

Repleta de uma cultura esportiva e de grandes espaços ao ar livre, a Austrália é, notoriamente, um dos lugares mais saudáveis do mundo e principalmente especial para aquelas pessoas que gostam de uma vida ativa.

O bom clima favorece à prática de esportes na Austrália.

Fonte: Alex King

Expectativa de vida em Cingapura

A pequena cidade-estado de Cingapura ocupa o oitavo lugar no ranking deste ano, caindo quatro posições e perdendo seu título de nação asiática mais saudável. O país tem uma das maiores expectativas de vida da região e um sistema de saúde bem conceituado.

Um destaque para o país é a maneira como os mais idosos são vistos pela sociedade. Diferentemente de outros locais no mundo, em Cingapura as pessoas mais velhas são muito respeitadas e continuam ativas por bastante tempo, tanto trabalhando quanto se exercitando pelos parques do país.

Noruega é destaque entre os nórdicos

A terra dos fiordes é se junta à Islândia para representar os países nórdicos. O país se destaca pelos cuidados de saúde, sendo que já chegou a ter o maior número de enfermeiras e parteiras per capita na Europa.

Por outro lado, o país sofre com a altas taxas de overdose e suicídio entre menores de 50 anos, o que muitos estudiosos atribuem à pouca luz solar durante o ano, o que contribui com baixa energia e, até mesmo, depressão. Um pouquinho mais de sol certamente traria muitas posições para a Noruega.

Israel mostra que nem tudo é Europa

Israel é o número 10 e mostra que também há muita saúde e qualidade de vida fora da Europa. Mais um país a contar com à incrível dieta mediterrânea, Israel caiu somente uma posição em relação ao ranking anterior. Juntamente com as grandes tendências alimentares, o país também tem uma expectativa de vida comparativamente alta, 82,9 anos, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde de 2017, a oitava mais alta do mundo.

O que “segura” a nação pode ter relação com o serviço militar obrigatório e aos conflitos constantes, o que, infelizmente, impacta alguns índices. Quem sabe em listas futuras Israel não estará nas primeiras posições?

jjimjilbang, casa de banho coreana.

Fonte: Dushan Hanuska

França e o segredo dos vinhos

Pode até parecer brincadeira, mas a ingestão de vinho na França realmente contribui com os índices de saúde do país. Mas não vai sair por aí bebendo só por conta disso, hein? A consumo ideal é de cerca de suas taças por dia, o que pode contribuir com a saúde do coração e até reduzir o risco de câncer e demência. O consumo também está associado a um momento de relaxamento e prazer pessoal, reduzindo índice de estresse e burnout.

Além disso, franceses gostam de caminhar, diminuindo os índices de sedentarismo e contrabalanceando uma dieta mais rica em gordura saturada. Por último, o governo tem tomado medidas para combater os números envolvendo diabetes, que vem crescendo no país, ao impor restrições à venda de refrigerantes em escolas e demais estabelecimentos que costumavam operar com o sistema de refil.

Coréia ataca com peixe e saunas

Outro destaque que sai do círculo europeu é a Coreia do Sul. A deita do país é rica em peixes e frutos do mar, que por sua vez são um prato cheio de vitaminas, probióticos e possuem baixo teor de açúcar e gordura. Além disso, esse é um tipo de alimentação que é muitas vezes consumida fresca, diminuindo a interferência da indústria e seus conservantes.

Um pouco mais incomum, mas que também influencia positivamente os índices do país, é o hábito de visitar jjimjilbang, as casas de banho coreanas. Pesquisadores acreditam que relaxar nesses locais ao fim de um dia de trabalho contribui para uma boa saúde mental e, consequentemente, física dos coreanos. É como diz o ditado: mente sã, corpo são. Por último, mas não menos importante, um sistema de saúde de altíssima qualidade e avanços econômicos e sociais certamente contribuem para a boa posição da Coreia nos rankings de países saudáveis.

 

Planejando sua próxima viagem? Você pode gostar: https://br.royalvegascasino.com/blog/entenda-mais-sobre-a-taxa-de-turismo/


Análise do Caça-níquel Ancient ... Trapaças e irregularidades nos ...