Registrar-se

Os maiores salários da Copa do Mundo FIFA 2018

Os maiores salários da Copa do Mundo FIFA 2018 Source: Evening Standard A Copa do Mundo FIFA é a competição esportiva internacional mais importante do planeta. Levando-se em consideração a fase das eliminatórias, ela é disputada por mais de 200 equipes nacionais, até finalmente chegar as 32 seleções que irão participar do torneio. No comando desses times, estão alguns dos maiores e mais renomados técnicos do mundo. Pensando nisso, a seguir está uma lista com os dez treinadores mais bem pagos da Copa do do Mundo FIFA 2018. Se ao analisar esses dados você perceber que os seus rendimentos anuais estão baixos, tente a sorte com os jogos de cassino e concorra a diversos prêmios.  

1. Joachim Löw, Alemanha

No topo da lista, está o técnico da Alemanha, Joachim Löw, com um salário anual de aproximadamente US$ 4.500.000. Joachim está no comando da seleção alemã desde 2006, e tem como principal conquista o título mundial da Copa de 2014, no Brasil.

2. Didier Deschaps, França

O segundo técnico mais bem pago da Copa é o francês Didier Deschaps, que está desde 2012 no comando da seleção francesa e recebe cerca de US$ 4.100.000 ao ano. Didier é ex-jogador de futebol e iniciou a sua carreira de treinador na equipe do Mônaco, na qual conquistou títulos importantes.

3. Tite, Brasil

Com ganhos anuais de US$ 4 milhões, o treinador do Brasil é o terceiro na lista dos mais bem pagos da Copa do Mundo de 2018. No comando da seleção nacional desde 2016, Tite possui passagens bem-sucedidas como treinador de várias equipes brasileiras como Grêmio, Internacional e Corinthians.

4. Julen Lopetegui, Espanha

O próximo nome da lista é o técnico da Espanha, Julen Lopetegui, que recebe anualmente US$ 3.400.000. Antes de assumir a seleção espanhola, em 2016, Julen trabalhou por anos como treinador das seleções de base do país, e logo em seguida, acumulou vitórias no comando do Porto.

5. Stanislav Cherchesov, Rússia

Em quinto lugar está o técnico da Rússia, Stanislav Cherchesov, com um salário anual de US$ 2.900.000. Stanislav, que já jogou como goleiro da seleção da URSS, é o comandante do país anfitrião da Copa desde 2016, e antes disso trabalhou em clubes como o Dínamo de Moscou.

6. Fernando Santos, Portugal

Em seguida está o português Fernando Santos, com ganhos anuais de US$ 2.600.000. Por anos, Fernando atuou na posição de zagueiro, mas desde a década de 80 ele trabalha como treinador, tendo passado por várias equipes portuguesas e gregas até assumir a seleção de Portugal, em 2014.

7. Carlos Queiroz, Irã

Em sétimo lugar está outro português, Carlos Queiroz, que é o atual técnico do Irã e tem um salário de cerca de US$ 2.250.000. Antes de assumir esse cargo, no ano de 2011, Carlos chegou a ser o treinador do Real Madrid e da seleção de Portugal.

8. Gareth Southgate, Inglaterra

O técnico da Inglaterra, Gareth Southgate, é o próximo nome da lista, com ganhos de US$ 2.250.000 ao ano. Após encerrar sua carreira como zagueiro, Gareth treinou o Middlesbrough e a equipe inglesa sub-21, até chegar ao cargo de técnico da seleção em 2016.

9. Jorge Sampaoli, Argentina

Em nono, está o argentino Jorge Sampaoli, que é o técnico da Argentina desde 2017. Com um salário de aproximadamente US$ 2.100.000 ao ano, Sampaoli possui um currículo extenso, tendo passado recentemente pelo Sevilla e pelo comando da seleção chilena.

10. Óscar Tabárez, Uruguai

Por último, temos o técnico do Uruguai, Óscar Tabárez, que ocupa o cargo desde 2006 e tem ganhos anuais de US$ 2 milhões. O treinador, que já jogou como zagueiro quando jovem, tem em seu currículo passagens em clubes como Boca Juniors e Vélez Sarsfield.


Jogos brasileiros ganham destaque ... O escândalo do Skënderbeu ...