Registrar-se

O dia em que o futebol parou uma guerra

O dia em que o futebol parou uma guerra Fonte: Velocity Broadband Em 25 de dezembro de 1914, durante a Primeira Guerra Mundial, um evento marcante entrou para a história. Nesse dia, soldados ingleses e alemães, que batalhavam há vários meses na Frente Ocidental, no território da Bélgica, decidiram estabelecer um armistício informal para celebrar as festas natalinas, o que ficou conhecido como "Trégua de Natal". Segundo relatos de soldados que presenciaram esse acontecimento, a iniciativa partiu dos alemães, os quais indicaram para os ingleses que não atirariam caso eles também não atirassem a partir da meia-noite do dia 25. Aos poucos, soldados de ambos os lados começaram a abandonar as suas trincheiras para se encontrar na chamada "terra de ninguém", que era o território não-ocupado e reivindicado entre os dois exércitos. Apesar da barreira do idioma entre os ingleses e os alemães, soldados de ambos os lados se uniram para comemorar o Natal, cantando canções tradicionais de seus povos e inclusive trocando presentes como alimentos, cigarros, garrafas de vinho e barris de cerveja. Em algum momento durante a celebração, os soldados decidiram jogar uma partida de futebol, o que acabou se tornando um dos momentos mais marcantes e lembrados da "Trégua de Natal" por simbolizar a importância do futebol como elemento pacificador.

O esporte como agente da paz

Uma situação como essa parece impossível de se imaginar em uma guerra nos dias de hoje, até porque, com o avanço da tecnologia, soldados inimigos teriam que se unir para jogar games de computador juntos, como jogos de cassino online, por exemplo. Mas a razão dessas "tréguas" terem se tornado tão incomuns é pelo fato do alto comando dos exércitos serem completamente contrários a esse ideia. Para eles, qualquer tentativa de paz entre os soldados era um risco ao combate, o que poderia prejudicar as operações e os interesses envolvidos no conflito. Sendo assim, esse acontecimento durante a Primeira Guerra Mundial pode ser descrito como uma iniciativa independente, a qual causou grande aborrecimento aos comandantes e  generais. Para evitar que isso voltasse a ocorrer, foi estabelecido que qualquer espécie de manifestação de paz seria considerada como traição. Por isso, apesar do grande potencial do esporte e do futebol em unir os soldados e trazer a paz, eventos como esse não voltaram a ocorrer, tanto na Primeira Guerra, como em outros grandes conflitos mundiais. O esporte como agente da paz Fonte: Balls.ie

A "Trégua de Natal" representada nos cinemas

Em 2013, pouco antes do centenário da Primeira Guerra Mundial, foi lançado um curta-metragem de animação inspirado nesse episódio histórico. Com o nome de "War Game" ("Jogo de Guerra", na tradução para o português), o filme foi produzido pelo britânico Iain Harvey, que declarou ter tido essa ideia a partir de histórias e relatos que escutava desde criança sobre soldados que haviam participado de diferentes conflitos armados. Com uma duração de 29 minutos, esse curta tem o objetivo de mostrar para o público de todas as idades que, ao invés de resolver as diferenças nos campos de guerra, é possível fazer isso dentro de um campo de futebol. Essa mensagem simples e educativa rendeu muitos elogios ao filme, o qual chegou a ser apresentado no Brasil durante o festival Anima Mundi de 2013, que passou pelas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo.


Infográfico: Homens e Mulheres ... Jogadores culpados pela eliminação ...