Registrar-se

A falta de interesse pela Copa América

gramado de estádio de futebol Fonte: Pexels

Apesar de ser um torneio de grande tradição, a Copa América de 2019, realizada no Brasil, não tem recebido o interesse esperado por parte do público, ao contrário dos jogos de cassino, que seguem em alta no país. Seja pelo nível técnico abaixo do esperado de algumas das seleções participantes ou pelo corte de Neymar pouco tempo antes do início da competição, a verdade é que, após os primeiros dias do torneio, é indiscutível que os torcedores não parecem muito empolgados com a atual edição da Copa América.

Estádios vazios e pouco apoio da torcida

O principal indício do desinteresse dos torcedores brasileiros é a falta de público nos estádios em algumas partidas. Em comparação com a última edição do torneio, por exemplo, a Copa América Centenário, que foi realizada em 2016 nos Estados Unidos, as estatísticas são preocupantes. Enquanto nessa última edição a média de público nos estádios norte-americanos a cada partida foi de 46.373 pessoas, a primeira fase da atual edição registrou somente 2.106 pessoas entre o público pagante no jogo entre o Equador e o Japão. No geral, as partidas da seleção brasileira, que joga em casa, e de seleções sul-americanas de forte tradição, como a Argentina e o Uruguai, tem recebido um público maior nos estádios. Por outro lado, o restante dos jogos tem tido dificuldade em atrair mais de 20 mil pessoas aos estádios, o que representa uma ocupação média inferior a 50% da capacidade disponível.

O preço dos ingressos

Sem dúvidas, um dos principais fatores para a queda na média de público da Copa América é o preço cobrado pelos ingressos. No jogo de abertura da competição, no qual o Brasil derrotou a Bolívia por 3 a 0, o número de torcedores pagantes no estádio chegou a pouco mais de 46 mil, um dos melhores registrados na atual edição do torneio, mas ainda assim bem distante de alcançar a capacidade do estádio do Morumbi, que é de 67 mil pessoas. Devido a importância da partida, com a estreia da seleção anfitriã, a organização da Copa América optou por cobrar cerca de R$ 450 a cada ingresso, um valor exorbitante e fora da realidade da maioria dos brasileiros, o que justifica os assentos vazios dentro do estádio. Outros jogos, como o empate entre Venezuela e Peru, pelo placar de 0 a 0, tiveram ingressos vendidos por mais de R$ 200, o que apesar de inferior à média da partida de abertura, ainda assim é considerado um valor bem alto.

torcedor do Brasil no estádio assistindo ao jogo Fonte: Pexels

Outras razões que podem ter agravado o desinteresse do público

Além do valor dos ingressos, uma outra questão que pode ter causado essa falta de interesse da torcida brasileira pela Copa América é o fato do país já ter sediado grandes eventos esportivos em um curto intervalo de tempo. Nos últimos dez anos, o Brasil foi o anfitrião da Copa das Confederações de 2013, da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016. Sendo assim, a Copa América está longe de ser uma novidade para esse público que se acostumou a assistir grandes eventos. A crise econômica, por sua vez, também deve ser considerada como uma das razões pelas quais os estádios estão vazios. Entretanto, apesar dessa média de público considerada baixa, o elevado valor cobrado pelos ingressos tem feito com que a arrecadação da Copa América se mantenha em alta. Nas primeiras 18 partidas, que definiram a primeira fase da competição, foram arrecadados cerca de R$ 110 milhões. A efeito de comparação, as 89 partidas do Campeonato Brasileiro já realizadas em 2019 arrecadaram pouco mais da metade, R$ 58 milhões. Porém, apesar disso, algumas partidas ainda causaram prejuízo, pois as despesas de operação dos estádios e de toda a estrutura que envolve cada jogo também são altas. Desse modo, muitos jornalistas têm criticado os valores dos ingressos e defendido que, com preços mais populares, os estádios ficariam cheios e o faturamento também melhoraria.


Conheça 7 alternativas ecológicas ... Como sobreviver a sua ...