Registrar-se

Atletas famosos pegos no doping

A atleta pediu desculpa aos fãs pelo “descuido”. Fonte: baaghitv.com

Este post foi publicado originalmente em 19 de dezembro de 2019 e foi atualizado em 15 de maio de 2020.

Parece que não importa quanto tempo passe, a questão do doping sempre estará presente nos esportes. Recentemente, tivemos a notícia de que a Rússia está banida dos jogos olímpicos de 2020, em Tóquio, e da olimpíada de inverso de 2022, em Pequim, e da Copa do Mundo de 2022, no Catar, pelos casos de doping no país. Bom, pelo menos nos jogos de cassino você não precisa se preocupar com isso. Quando alguém ganha no seu cassino online favorito, é sempre limpo e justo. No entanto, alguns atletas esportivos ao longo da história procuraram um atalho para a glória, e abaixo reunimos alguns deles para que você conheça.

Lance Armstrong, ciclismo

Lance Armstrong inspirou audiências em todo o mundo no final dos anos 90, voltando de um diagnóstico de câncer para ganhar impressionantes sete títulos do Tour de France. Porém, o atleta teve uma aposentadoria precoce quando, em 2012, enfrentou alegações de uso de drogas proibidas e utilização de transfusões de sangue ilegais, sendo punido com uma proibição vitalícia das competições esportivas pela prática de doping.

Maria Sharapova, tênis

Maria Sharapova também passou por uma polêmica quando foi testada positivo para meldonium. O fármaco é prescrito para ajudar a proteger o tecido cardíaco, regulando o metabolismo. Porém, ele também ajuda a aumentar o desempenho de resistência dos atletas, melhorar a reabilitação após o exercício, proteger contra o estresse e ativações aprimoradas das funções do sistema nervoso central. A medicação só chamou a atenção da Agência Mundial Antidoping há alguns anos, e foi banida em janeiro de 2016. Sharapova, que costumava fazer uso da medicação, foi pega no Australia Open, e deu uma declaração assumindo a culpa por não ter checado a lista atualizada de substâncias proibidas.

Tyson Gay, atletismo

Em julho de 2013, Tyson Gay estava destinado a fazer frente ao icônico Usain Bolt nas provas de 100 metros do Campeonato Mundial de Moscou. Em vez disso, o atleta foi desclassificado do torneio por testar positivo para uma substância proibida. Em maio do ano seguinte, o americano foi banido por um ano e perdeu a medalha de prata olímpica que ganhou como parte da equipe dos Estados Unidos no 4 × 100 metros em Londres.

Marion Jones, atletismo

Outra atleta das corridas, Marion Jones estava sob suspeitas de esteroides desde 2003. Porém, foi somente em 2007 que Jones admitiu o uso passado de um esteroide de que aumenta o desempenho. A atleta disse que começou a usar a droga apenas algumas semanas antes dos Jogos Olímpicos de Verão de 2000 em Sydney. Jones devolveu as cinco medalhas que ganhou nesses jogos, incluindo medalhas de ouro nas corridas de 100 e 200 metros e o revezamento de 4 x 400 metros. Jones também conquistou medalhas de bronze para salto em distância e o revezamento de 4 x 100 metros. Todos os resultados da corrida de Jones após 1º de setembro de 2000 foram eliminados e ela foi banida por dois anos. Foi o ponto final da carreira de jogador profissional. Fonte: elterritorio.com

Diego Maradona, futebol

Quando a Copa do Mundo de 1994 chegou, as pessoas pensavam que Diego Maradona já havia passado da hora de pendurar as chuteiras. Mas o argentino marcou gols importantes, e ajudou nas vitórias na primeira rodada sobre a Grécia e a Nigéria, mostrando dribles impressionantes. Mas seis horas antes da Argentina enfrentar a Bulgária, Maradona foi desqualificado da competição por ter testado positivo para cinco variantes de efedrina, uma droga usada para aumentar a energia e a atenção e perder peso ao acelerar o metabolismo.

Rafael Palmeiro, beisebol

O cubano, estrela do beisebol, foi pego em 2005 pelo uso de esteroides, apesar de negar o consumo da substância até hoje (ao menos, intencionalmente). Ao longo da carreira, o atleta foi eleito quatro vezes para o All-Star Game, ganhou quatro Luvas de Ouro, dois Silver Slugger) e em dez temporadas apareceu na lista dos 20 mais votados para o prêmio de MVP da liga.

Brian Cushing, futebol americano

Cushing ganhou o NFL Defensive Rookie of the Year Award em 2009 e foi selecionado para o Pro Bowl naquele ano. No entanto, o jogador estava sob o efeito de esteroides. Brian foi suspenso nos quatro primeiros jogos da temporada de 2010 por um teste positivo feito em setembro de 2009. A NFL.com relata que Cushing foi suspenso por 10 jogos em 2017 por outra violação do tipo.

Rafaela Silva, judô

Rafaela foi medalha de ouro nas Olimpíadas do Rio, em 2016. Fonte: David Ramos/Getty Images

Uma das mais importantes representantes do judô do Brasil, Rafael Silva, foi flagrada em um exame antidoping que constatou a presença de Fenoterol em seu organismo, uma substância geralmente encontrada em medicamentos para asmáticos. Rafaela não tem permissão para o uso de tais remédios, uma vez que não possui asma. A atleta se defendeu afirmando que havia inalado a substância enquanto brincava com a filha de uma amiga. 

Gabriel Santos, natação

Uma das revelações da natação brasileira. Fonte: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Revelação da natação brasileira, Gabriel Santos, 23 anos, testou positivo para Clostebol, uma substância com efeitos anabolizantes. Com esse resultado, o nadador foi punido por 8 meses, ficando de fora do Mundial e do Pan no Peru. Em janeiro desse ano, 2020, a punição do atleta chegou ao fim, o que lhe permitiria participar normalmente das competições caso o mundo não estivesse enfrentando uma quarentena.

Daiane dos Santos, ginástica

Olimpíada de Londres, antes de sua aposentadoria.  Fonte: Flávio Florido/UOL

Primeira ginasta brasileira a receber uma medalha de ouro em um campeonato mundial, em 2003, Daiane dos Santos, que já não compete mais, foi pega em um exame antidoping para Furosemida. Em sua defesa, Daiane culpou a medicação que tomava para perder peso, porém recebeu uma punição de 5 meses fora das competições.

Giba, vôlei de quadra

Giba é um dos maiores medalhistas do Brasil Fonte: Divulgação/CBV

Um dos responsáveis por diversas medalhas e títulos para o Brasil, Giba foi suspenso por 8 partidas após ter sido pego no exame antidoping pelo uso de maconha. Além das partidas, o atleta pagou uma multa que foi convertida para associações de dependentes químicos.

Interessado no mundo das celebridades? Você pode gostar: https://br.royalvegascasino.com/blog/febre-celebridades-apostas/


Para além do jogo: ... Cibersegurança nos cassinos online ...