Registrar-se

Delatores da história e dos cassinos

As acusações sobre Trump ganharam a mídia. Fonte: Unsplash

Você já parou para pensar em quanta coisa foi vazada nos últimos anos? Com a internet, principalmente, democratizando o acesso a informação, em certo sentido, dados de empresas e governos se espalham com enorme facilidade uma vez expostos, e, uma vez online, nunca mais somem. Obviamente, junto a isso, surgiu uma grande onda de notícias falsas, o que nos obriga (ou pelo menos deveria) a sempre ter um olhar crítico frente a tudo que nos chega via web e por todas as outras mídias. Até mesmo a indústria do cassino já teve seus vazamentos. De Snowden ao presidente dos Estados Unidos, Donal Trump, as informações vazadas causam polêmicas e dividem opiniões. Os vazamentos prejudicam a segurança das organizações? É direito da população estar a par de tudo o que é registrado nos mais diversos órgãos particulares e governamentais? São muitas perguntas e poucas respostas. E para te ajudar a refletir sobre o assunto, abordamos alguns dos vazamentos mais famosos da história e comentamos suas consequências!

O caso mais recente: governo Trump

Nas últimas semanas, a mídia foi tomada pelo anúncio de um possível processo de impeachment do atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O inquérito se baseia majoritariamente em uma denúncia de um único whistleblower, termo em inglês que se traduz para algo como “sobra o apito” – ou seja, divulga a notícia; que revelou, através de canais legalmente prescritos, detalhes dos esforços do presidente americano para pressionar o recém-eleito presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, para investigar um dos rivais presidenciais de Trump em 2020, o ex-vice-presidente Joe Biden e seu filho Hunter Biden. Como não poderia ser diferente, a acusação foi recebida com bastante seriedade pelo congresso americano, pondo em risco o cargo assumido por Trump em 2016. Entre seus apoiadores, há muita descrença e acusações de informação forjada para prejudicar o atual presidente. Do outro lado, entretanto, acredita-se que a conduta é bastante possível e uma investigação será feita para colocá-la à prova. Independentemente desse fato, analistas e jornalistas defendem o ato de delatar como sendo essencial para garantir a democracia em nossa sociedade atual, possibilitando que a população tenha acesso as ações de quem por ela foi eleito. Na última semana, o New York Times publicou o surgimento de um segundo delator, o que pesa contra o presidente. Não podemos nos esquecer, porém, que o partido republicano tem maioria no senado, dificultando que um impedimento, de fato, ocorra. As acusações eram sobre espionagem da população pelo governo. Fonte: Unsplash

Os perigos da delação

O caso de Trump, seja qual for o posicionamento político de quem o analisa, de fato parece contar pontos a favor da delação, afinal, se comprovado, o ato cometido pelo presidente é ilegal de acordo com as leis norte-americanas e pode trazer sérias consequências. Porém, a delação pode ter efeito contrário e servir, justamente, para reafirmar o poder de quem já está por cima. No Brasil, por exemplo, após as denúncias feitas pela mídia em relação à Operação Lava-jato, fica claro como delações podem (podem, pois ainda não se sabe, perante o setor jurídico do país, se foram ou não) ser forjadas e utilizadas para favorecer determinado lado político. Obviamente, nosso intuito não é tomar qualquer partido, e toda denúncia precisa ser investigada e comprovada (ou desmentida). Mas citamos o caso pelo quão interessante, para dizer o mínimo, é acompanhar um movimento que traz delatores sendo delatados, estabelecendo um cenário no qual fica difícil para a população saber em quem confiar. Esse contexto nos traz ainda mais questionamentos em relação aos delatores e denunciantes. Conforme muito bem coloca a mídia norte-americana, é um caminho importante para informar e proteger a população. Porém, ao mesmo tempo, pode ser utilizada de maneira desonesta para reforçar o poder de uma classe dominante. Em quem acreditar nessa situação?

O caso de Snowden

Não poderíamos debater esse tópico sem citar Edward Snowden. Ex-subcontratado da Agência de Segurança Nacional (NSA), SNowden ganhou as manchetes em 2013 quando vazou informações secretas sobre as atividades de vigilância da NSA. Snowden coletou documentos ultra-secretos sobre as práticas de vigilância doméstica da NSA, com as não concordava, e os vazou. Depois que fugiu para Hong Kong, ele se encontrou com jornalistas do The Guardian e com a cineasta Laura Poitras. Os jornais começaram a publicar os documentos que ele havia vazado, muitos deles detalhando o monitoramento dos cidadãos americanos. A internet, em especial o WikiLeaks, também serviu como grande disseminador das informações publicadas por Snowden. Os EUA acusaram Snowden de violar a Lei de Espionagem, enquanto muitos grupos o chamam de herói. Snowden encontrou asilo na Rússia e continua falando sobre seu trabalho até hoje Os defensores da privacidade dizem que a revelação de Snowden das extensas operações de espionagem dos EUA foi um passo ousado e necessário que forçou os tribunais federais, o Congresso e o governo Obama a reexaminar os programas anteriormente secretos e, em alguns casos, a reformá-los. Mas autoridades dos EUA, membros do Congresso e outros disseram que as divulgações de Snowden prejudicaram a segurança nacional ao permitir que espiões estrangeiros tivessem acesso aos documentos americanos. Mais uma vez, dois lados da mesma moeda. E você, o que acha dessa história?

As delações na indústria dos cassinos

Na indústria dos cassinos, há também relatos de denúncias e vazamentos de informação que causaram certo impacto. Um dos casos mais famosos é sobre a franquia Crown Casino, na Austrália, denunciado por ex-funcionários de manipular as máquinas de acordo com o desempenho do jogador. Outro acontecimento que chama a atenção foi a campanha pokie-leaks (vazamento dos caça-níqueis), criada em 2016.Também na Austrália, os objetivos eram conscientizar e informar a população a respeito do fluxo monetário dos cassinos, buscando investigar para onde o dinheiro ia e possíveis fraudes. A campanha foi lançada por políticos no país. Apesar de esses serem os casos que mais apareceram na mídia internacional, não é difícil encontrar na internet relatos de ex-funcionários denunciando más práticas. Por isso, sempre recomendamos: busque locais de confiança para se divertir, seja físico ou online, como o Royal Vegas! Para que você esteja preparado, aqui vão algumas dicas para verificar os sites de jogos que visita. A primeira coisa a se fazer é pesquisar as redes sociais do estabelecimento e verificar se há reclamações dos usuários em relação a pagamentos não efetuados ou demorados. Você também pode fazer uma busca por relatos nos buscadores de internet. Outra prática interessante é ler os termos e condições e verificar suas garantias. Além disso, há diversos sites de análise que fazem avaliações independentes dos cassinos, garantindo uma avaliação mais segura e imparcial. Mais do que isso, muitos cassinos (sejam físicos ou online) compartilham com seus jogadores informações de auditorias externas, o que traz ainda mais tranquilidade e segurança na hora da sua diversão.


A evolução dos esportes ... O impacto do online ...